Portal 135

O que esperar dos 100 primeiros dias dos novos governos Municipais

22/03/2017

Chegou a hora de mostrarem serviço e trabalharem pelo povo. A eleição teve um ponto final.

Eimar Fonseca / 9-dades Comunicação

Aconteceu. Os prefeitos foram eleitos em 2016 e tomaram pose em janeiro de 2017. Os mandatários de todas as cidades estão hoje em quase 100 dias e a maioria com um índice de aprovação muito ruim. O que também é reflexo desta crise que vem afetando o Brasil como um todo atrapalhando a vida dos gestores municipais. E ainda temos alguns prefeitos que ganharam a prefeitura e acham que estão governando Nova Iorque, Paris e Hong Kong. E a partir de agora, tudo que os atuais gestores fizerem e ou disserem passará por um ferrenho escrutínio público — tanto de apoiadores quanto de adversários.

Com 100 dias de governo, já chegou a hora dos prefeitos mostrarem se conseguirão transformarem seus estilos de campanha em ações concretas para as cidades. O que esperar a partir de agora?

Em outubro passado, durante a corrida eleitoral às prefeituras, a maioria dos então candidatos e suas equipes apresentaram uma lista de compromissos para os 100 primeiros dias na prefeitura. Isto foi uma espécie de contrato com os eleitores.

 

A julgar pelos discursos desde a posse até agora, os prefeitos terão que melhorar muito a retórica e trabalhar e trabalhar. Porque caso contrário, se não aparecer mais um aventureiro, os antecessores mesmo com altos índices de rejeição, mudarão de postura e o povo passará a sentir saudades.

Para quem tem acompanhado a crise em todo Brasil e pelo nível de promessas feitas aos cidadãos, é quase impossível realizar todas as promessas em tão curto espaço de tempo, mas uma coisa é certa: senão tiver trabalho, a agitação nas cidades está garantida.

Mas os prefeitos, não podem pensar que a administração é apenas 100 dias. São mais de 4000 mil dias de mandato. E as cidades e a população precisam de mais benfeitorias e qualidade de vida. E hoje com a quantidade de informação que as pessoas têm o dia inteiro, os prefeitos precisam mostrar serviço, porque como prometeram muito nas campanhas eleitorais, as cobranças serão na mesma proporção.

100 dias servem apenas para se ter um parâmetro de como será o futuro da administração. É um “test drive” para as equipes de trabalho. Tem gente (secretários, assessores e funcionários) que não aguentam o tranco nos 100 dias e “por motivos” pessoais, pedem para sair.

Portanto senhores gestores, aproveitem os 100 dias e avaliem com cuidado e cautela o que foi feito e o que ainda terá por fazer, porque as cobranças serão muitas. E aquele velho ditado ainda vale. A política e a vida é dura para quem é mole”. Os 100 dias estão chegando.